O crescimento da economia e a ascensão de uma nova classe média tornaram a reforma de imóveis uma realidade a um número muito maior de brasileiros. É nesse novo cenário que a Companhia Hipotecária Brasileira (CHB), instituição financeira há 45 anos em atividade, oferece programas para facilitar o projeto de reforma de casas, condomínios e imóveis comerciais.

Em 2003, as classes D e E representavam 55% da população brasileira. Com o aumento da classe C, esse número caiu para 34% e, segundo dados do setor imobiliário, em 2014 a classe média representará 57% da população. “Trata-se de uma população que deve aumentar seus gastos com melhorias em seus imóveis. Algumas mudanças institucionais do setor, como a desoneração de IPI para 45 itens relacionados à construção civil e o estímulo ao crédito habitacional também ajudaram a impulsionar as reformas”, afirma o diretor comercial da CHB, Nelson Campos.

A CHB, com programas como o CHB Condomínio, oferece crédito a partir de R$ 30 mil reais para reformas, agilidade na liberação de recursos e baixa taxa de juros, sem necessidade de hipoteca ou alienação fiduciária de imóvel. Para aqueles que procuram construir, a CHB também tem mecanismos que permitem o saque do FGTS, com o imóvel ainda em fase de construção.
A utilização desse capital para reformas também registrou crescimento no Brasil. Entre 2005 e 2010, por exemplo, o Fundo de Garantia foi utilizado em 113 mil imóveis. Em 2010 esse número já atingia cerca de 151 mil empreendimentos em todo o território nacional.

Da Redação.